segunda-feira, 30 de março de 2009

Primeiro dia do É Tudo Verdade

Meu primeiro dia no festival teve 0 documentários. Tudo começou quando cheguei para pegar minha credencial e me preparava para assistir os curtas da sessão das 16h. Aliás, me preparava pra assistir a sessão das 16h, 18h e 20h. Doc na veia. Foi quando o Unibanco Arteplex foi subitamente invadido por dezenas de estudantes protestando contra a possível restrição da meia entrada. Então, tentando trazer cultura as pessoas, eles acabaram proibindo e atrapalhando quem tentava assistir filmes brasileiros, de qualidade. Não fez muito sentido pra mim. Até pq 100m dali havia um cinemark. Por que não protestaram lá? Medo dos seguranças do shopping? Imagino quantas pessoas, assim como eu, querendo ver um filme, desistiram de acompanhar o Festival, ou ver filmes que mereciam muito mais a compra do ingresso, e foram assistir algum enlatado no shopping ao lado.

Bem, depois de assistir a Pagando bem, que mal tem?, e perder a sessão das 18h, fui informado por um amigo da produção do Festival que se quisesse assistir o filme das 20h, Garapa do José Padilha, teria que ficar 2h na fila, que os ingressos estavam sendo disputados a tapa... Como minha paciência tinha ido embora com o Movimento Estudantil, encerrei minha noite sem nenhum doc no currículo.

Um comentário:

GONÇAS disse...

OK EU ACEITO O CONVITE